O mistério do Triângulo das Bermudas resolvido

O mistério do Triângulo das Bermudas 'resolvido', afirmam os cientistas.
 
O Triângulo das Bermudas é uma seção mítica do Oceano Atlântico cercada por Miami, Bermuda e Porto Rico, onde dezenas de navios e aviões desapareceram. 
 
É um mistério que intrigou os cientistas por anos, mas um cientista acredita que ele pode finalmente saber o que está por trás dos desaparecimentos do Triângulo das Bermudas.
 
De acordo com cientistas da Universidade de Southampton, existem ondas gigantes de 1000 pés ou 304,8m presentes dentro do triângulo que podem ser uma razão por trás de tantos navios ou aviões afundados dentro dele.
 
Ondas invasoras são ondas de superfície grandes, inesperadas e repentinamente aparentes que podem ser extremamente perigosas, até mesmo para grandes navios como os transatlânticos.
 
Para uma explicação adequada, os cientistas criaram um modelo USS Cyclops, um enorme navio que desapareceu no triângulo em 1918, levando 300 vidas. 
 
E por causa de seu tamanho e base plana, não demora muito para que o modelo seja superado com água durante a simulação.
 
Triângulo das Bermudas
 
 O Cyclops era uma embarcação de 542 pés ou 165,20m que foi usada para transportar combustível durante a Primeira Guerra Mundial e desapareceu enquanto seguia da Bahia para Baltimore em 1918.

Alguns especialistas argumentam que o Cyclops encontrou um fim sobrenatural. 
 
Possivelmente a maior perda na história naval dos EUA, o navio poderia ter desaparecido em qualquer lugar e não necessariamente no próprio Triângulo.

Simon Boxall, um cientista do oceano e da terra, disse: "Aquela área infame no Atlântico pode ter três enormes tempestades se juntando de diferentes direções, as condições perfeitas para uma onda gigante."
 
"Esse surto de água poderia quebrar um barco, como o Cyclops, em dois."
 
Segundo ele, pode haver tempestades vindas do sul e do norte. 
 
Ele disse ainda: "E se há outros adicionais da Flórida, pode ser uma formação potencialmente fatal de ondas gigantes."
 
Fonte: Tech Explorist 
 

Nenhum comentário